2 757780 33374368 Mee Lin Woon 300x193 Transtornos alimentares também afetam mulheres mais velhasUm estudo sobre a prevalência de transtornos alimentares mostra que esta não é uma condição exclusiva de adolescentes, mas as mulheres de 50 anos ou mais também estão sujeitas. Segundo os resultados da pesquisa, 3,5% têm compulsão alimentar, quase 8% relatam vômitos e mais de 70% estão tentando perder peso.

Publicado no periódico International Journal of Eating Disorders, a pesquisa ainda revela que 62% afirmam que o seu peso ou forma física impactam negativamente sua vida.

Segundo a autora, Cynthia Bulik, da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, não é que estes transtornos sejam mais comuns nas mulheres mais jovens. “Na realidade, achamos que aos 50 as mulheres deixam de se preocupar com a aparência, mas na realidade ninguém realmente se preocupou em saber. Como a maioria das pesquisas se concentra nas mulheres mais jovens, nosso objetivo era captar as preocupações das mulheres nesta faixa etária para estruturar futuras pesquisas e planejamento de serviços”, diz.

A idade média das participantes foi de 59 anos. Mais de um quarto, 27% eram obesos, 29% estavam com sobrepeso, 42% tinham peso normal e 2% estavam abaixo do peso.

Com relação ao peso, 36% relataram passar pelo menos metade do seu tempo nos últimos cinco anos em dieta, 41% verificam cotidianamente seu peso e 40% pesam-se pelo menos duas vezes por semana ou mais.

Enquanto 62% das mulheres afirmaram que o seu peso ou forma impactado negativamente sua vida, 79% disseram que isso afetou sua auto-percepção e 64% disseram que pensam sobre isso diariamente.

As mulheres relataram também recorrer a uma variedade de métodos considerado pelos pesquisadores como “pouco saudáveis” ​​para tentar emagrecer, como usar remédios (7,5%), se exercitar excessivamente (7%), usar diuréticos (2,5%), laxantes (2%) e provocar o próprio vômito (1%).

Dois terços (66%) estão insatisfeitas com sua aparência e isso piora quando o assunto é a barriga (84%) ou a forma física 73%.

“A conclusão é que os transtornos alimentares e preocupações com peso e forma física não tem a ver com a idade”, concluiu Bulik. “Os profissionais de saúde devem estar atentos para estes sintomas alimentares e preocupações do peso e da forma física que podem influenciar negativamente o bem estar físico e psicológico das mulheres à medida que amadurecem.”

-

por Marina Teles



Que tal receber nossas notícias diretamente no seu email e ficar ligado em todas as novidades sobre saúde e bem estar? Email:


Aproveite e curta nossa página no Facebook:

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 média de votos: 5,00 de 5)